segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Marco Antônio de Abreu Abilhoa Um campeão paranaense.

 Muito obrigado Marco Antônio, simpatia e gentileza permearam essa publicação. Parabéns pela bela trajetótia, Abraço



Marco Antônio de Abreu Abilhoa. Nasceu em Londrina, Paraná em 24/10-1960. Começou a jogar com 9 anos e meio no Clube Santa Mônica, Clube de Campo. Seu primeiro professor foi o Paschoal Penetta.

Fui campeão paranaense aos 10 anos da categoria 9 a 12. Segui sendo campeão para naense de simples e duplas em todas as categorias no juvenil 13/14 15/16 e 17/18. Aos 18 fui estudar nos Estados Unidos.

Aos 11 anos, meu grande amigo Ivo Ribeiro ma convidou para treinar com a equipe de 1a classe do Santa Mônica. Ele me ajudou muito em meu desenvolvimento como tenista. Aprendi muito com ele. Aos 12 anos e meio comecei a ser treinado pelo Enrique Perez, meu grande técnico e amigo. O Enrique deixou o meu jogo ainda mais agressivo (eu sempre peguei a bola na subida sendo muito agressivo), me ensinando a jogar na rede, o que foi fundamental para a minha carreira na categoria 17/18 e no circuito universitário americano – NCAA Division I, a partir dos 18 anos. O Enrique era um técnico sensacional, que foi fundamental para o meu desenvolvimento como tenista, atleta e como ser humano. Como Head da equipe juvenil do Santa Mônica, ele também incutiu em nós a necessidade de ficarmos fisicamente em forma para conseguirmos competir em alto nível. Como atleta treinado pelo Enrique, eu estava sempre posicionado entre os 5 melhores jogadores até 16 e até 18 anos no Brasil. Aos 15 anos e meio cheguei à final da 1a classe do Paraná, onde perdi em 4 sets duríssimos para o meu ídolo o Ivo Ribeiro – Campeão Paranaense por mais de 12 vezes. Aos 16 anos fui Campeão Brasileiro Interclubes de 1a Classe, jogando ao lado do Ivo Ribeiro, Enrique Perez, Egídio Coradin, Arlei Krause e Celso Percegona. Aos 16 anos passei a representar o Clube Curitibano. Jogando pelo Curitibano obtive as minhas principais vitórias no Juvenil, sempre sendo treinado pelo Enrique Perez.

 Na categoria 17/18, representei o Brasil várias vezes no exterior, algumas vezes em parceria com o Cássio Mota e outras com o Marcos Braga ou o Eleutério Martins.

 Com 17 anos cheguei à “round of 32’s do Orange Bowl. No circuito do mundial juvenil obtive algumas excelentes vitórias sobre jogadores ranqueados entre os 20 primeiros do ranking mundial: Damir Keretik, Stefan Svensson, Raúl Viver (campeão do Orange Bowl 15/16 anos), Ivan Lendl e Milosslav Lacek (duplas).

Por minha atuação no Orange Bowl e no circuito Juvenil associado ao mesmo, recebi 5 ofertas de bolsas de estudos para estudar e jogar por universidades americanas. Aceitei a bolsa integral da Florida State University, a quem fui indicado pelo meu grande amigo José Salibi Neto, que jogava número 1 pela Florida State.

Desde os meus 14 anos sonhava em jogar por uma universidade americana, para depois poder virar um jogador da ATP. Joguei por 4 anos como número 1 da Florida State University, com bolsa integral e chegando ao número 27 em simples e 13 em duplas do ranking da NCAA Division I             Durante este período, também fui Campeão de simples, dupla e por equipes da Metro Conference – que contava com 9 universidades da Division I da NCAA. Por estas conquistas, recebi por 3 vezes o premio MVP da Metro Conference, fato inédito em qualquer esporte, já que a Conferencia era disputada anualmente, entre as referidas 9 universidades em todos os esportes                Representando a FSU cheguei a ficar ranqueado como No 27 da Divisão I da NCAA, obtendo diversas vitórias sobre jogadores ranqueados entre os vinte melhores da Divisão 1, inclusive uma vitória sobre o número 1 do Ranking, John Mangan, número 1 da Uiversidade da Georgia. Nas duplas cheguei a ficar como No 13 do ranking da Divisão I da NCAA.              Pelos resultados acima fui incluído no Hall of Legends da FSU, hoje chamado de “Top Noles”, já que os ícones da Florida State são os índios Seminoles da Florida.              Em 1984, após vencer o MVP da Metro Conference por 3 vezes, ganhei o premio de Atleta Individual do Ano da Florida State University. Recebi o Premio das mãos do Presidente da Universidade no intervalor de um Jogo de Futebol Americano entre a Florida State e a University of Florida, com 72 mil expectadores. Foi uma honra muito grande para mim! Este premio foi entregue a 1 atleta do Futebol Americano, 1 do Basketball, 1 do Baseball e um dos esportes individuais.

           Como jogador da Florida State e através da Bolsa de Estudos que recebi para defender a Universidade, me formei com honras em Business Administration, com especialidade em Finanças e Mestrado em Business Strategy and Finance                Durante o Mestrado fui o Assistant Tennis Coach da Florida State

               Joguei no Uruguai, Paraguai, Venezuela, México, Porto Rico, República Dominicana e Estados Unidos.

               Na volta ao Brasil estava machucado e por isso parei de jogar por vários anos. Fui sócio fundador junto com o meu Pai de uma empresa de Biotecnologia que tinha patentes mundiais de uma pele artificial para o tratamento de queimados e todos os tipos de lesões de pele.               Fui sócio e executivo da Biofill Produtos Biotecnológicos S.A., no Brasil e nos EUA por 12 anos. Quando sai da empresa fui diretor de 2 multinacionais até montar a minha empresa de Consultoria Empresarial em 2005 – a Abimax Business Consulting, na qual trabalho até hoje.

          Entre os meus 30 e 35 anos fui Campeão Interclubes Paranaense de 1a classe pelo Clube Curitibano e Campeão Catarinense de 1a classe em simples e por equipes, representando o Itamirim Clube de Campo de Itajaí. Desde então não tenho mais jogado devido a lesões nas costas e no joelho

         

            O meu melhor parceiro de duplas foi o Scott McLean da FSU com quem cheguei a ficar no 13o lugar do ranking da Divisão I da NCAA no universitário americano. O meu principal parceiro no juvenil, foi o Marcos Braga, com quem representei o Brasil no Circuito do Orange Bowl. Jogando em duplas com o americano Robert Van’t Off ganhamos da dupla Ivan Lendl e Milosslav Lacek.

   No momento, estou me recuperando de uma cirurgia no joelho direito e tenho planos de jogar o Circuito Internacional Sênior de Duplas.

 

 

1.     Jogando como No 1 da Florida State University por 4 anos.


1.     Em 1984, ganhando como # 1 Tennis Player o Prêmio de Atleta Individual do Ano, por ser o único atleta de qualquer esporte a ganhar por 3 vezes o MVP Award da “Metro Conference” pela FSU! A premiação aconteceu no “half-time” do American Football Game entre a Florida State University e a University of Florida!  Foram premiados 4 atletas: 1 do Football, 1 do Baseball, um do Basketball e 1 dos esportes individuais! Os prêmios foram entregues pelo Presidente da FSU, Mr. Bernie Sliger.




1.     Na frente e de vermelho no pôster do Hall of Fame da Florida State University! O único atleta de qualquer esporte a ganhar 3 vezes o Most Valuable Player Award da Metro Coference e jogar 4 anos como tenista número 1 pelo time da FSU! Hoje faço parte do Hall of Legends ou Top Noles!!

1.     Dois dos meus 3 Prêmios como Most Valuable Player - MVP da Metro Conference, representando a FSU!

 

1.     Com o meu grande amigo José Salibi Neto, que me indicou para a Bolsa da Florida State em nosso dormitório, o Cash Hall em Tallahassee, quando jogávamos pela FSU.


O Time da Florida State Seminoles.


1.     Na formatura do Mestrado na FSU em 1985.


1.      Aos meus 11 anos com o meu saudoso Pai, Athos de Santa Thereza Abilhoa e meus irmãos Rodrigo e Persio.

 



Homenagem do Clube Curitibano.



De volta ás quadras.





 







 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Yone Borba Dias O Tênis Veterano

 



Yone Borba Dias () Foi a fundadora da Copa Maria Esther Bueno em 1982, realizada como copa sul-americana realizada em Carrasco, Uruguai em 1983, No ano seguinte, também pelo seu esforço, foi realizado como copa do mundo na Áustria. Fundou como Henny Fontoura em 1977 o 1o Clube de Veteranos no Brasil

Em 1980, o Clube de Veteranos do Brasil, do qual era presidente, promoveu o 1o Campeonato Internacional de Veteranos na Associação Leopoldina Juvenil em Porto Alegre, patrocinado pela Melittta e organizado por Eugênio Saller.

Em 1981, foi realizado, com apoio do Clube de Veteranos o 1o Campeonato Mundial de Veteranos da I.T.F. no Clube Sírio Libanês em São Paulo. No ano de 2000, ocorreu a 20a edição desse campeonato.

Organizou durante 12 anos os Campeonatos Internacionais de Veteranos na Associação Leopoldina Juvenil em Porto Alegre. Em 1997, esse campeonato foi elevado à elite do grupo I da I.T.F.



Amélia Cury,Yone Borba Dias, Henry Fontura e Ingrid Drescheler. Equipe brasileira que pela primeira vezjogou a Copa Young Mundial, 1978. Ancona, Itália


                                                                       


sábado, 29 de agosto de 2020

XXXIII Campeonato Sul-americano, 1966 Chile.


Copa Harten

Equipe brasileira: Afonso Pinto Guimarães, Luiz Claudio Dias Lopes e Lelezinho. A equipe não conseguiu chegar à final

Paulo Silva Costa, Afonso Pinto Guimarães, Luiz Claudio Dias Lopes, Lelezinho, Mario Dias Lopes e Jaime Chacon.


                                                                 

Jaime Chacon, Lelezinho e Afonso Pinto Guimarães.
 

XXXIII Campeonato Sul-americano, 1966. Chile Taça Bolívia

 

Equipe brasileira campeã: Fernando Gentil, Reno Figueiredo e Luiz Felipe Tavares.


Reno Figueiredo, Fernando Gentil, Luiz Felipe Tavares e Jaime Chacon.


Luiz Felipe Tavares e Reno Figueiredo.

Fernando Gentil a Luiz Felipe Tavares




sexta-feira, 28 de agosto de 2020

XXXIII Campeonato Sul-americano Copa Colômbia

Copa Colômbia, juvenil damas. Brasil campeão.

 Euipe brasileira: Vera Cleto, Suzana Pettersen e Marlise Drum


Suzana Pettersen, Mario Dias Lopes, Vera Cleto e Marlise Drum.


Vera Cleto.

Suzana Pettersen.


Suzana Pettersen e Vera Cleto.